FAQ - Dúvidas Frequentes - Intragov VoIP

Favor acessar abaixo as principais dúvidas relacionadas ao Intragov VoIP.

Se ainda tiver dúvidas, favor entrar em contato conosco clicando aqui.

Índice

  1. O que é o Projeto Intragov VoIP?
  2. Além dos serviços já existentes na Intragov, quais novos serviços poderão ser contratados pelos Órgãos e Entidades do Governo?
  3. Como os Órgãos e Entidades do Governo poderão aderir aos contratos de prestação do SCV2 e do STFC Centralizado?
  4. Como os OES farão a contratação dos serviços SCV2 e STFC Centralizado, registro de incidentes e demais atividades para o relacionamento com as contratadas?
  5. Que recursos de hardware e software serão instalados nas Unidades dos OES?
  6. O OES poderá aproveitar recurso próprio (p.ex.: aparelho de telefone IP, Gateway ou PABX IP) para contratar o SCV2?
  7. O serviço SCV2 pode ser integrado a outras soluções como Skype for Business (antigo Lync), por exemplo?
  8. Qual será o consumo de largura de banda no SCM Intragov, por chamada?
  9. Quais os modelos de elementos do acesso do tipo Terminais/Telefones IP disponíveis no contrato e suas características técnicas?
  10. Como o serviço SCV2 poderá ser contratado em Unidades do OES que possuem PABX analógico?
  11. Como o serviço SCV2 poderá ser contratado em Unidades do OES que possuem PABX IP ou híbrido?
  12. Como o usuário controlará o encaminhamento da chamada telefônica para que ela saia pelo SCV2 e STFC Centralizado ao invés de sair para rede de telefonia pública descentralizada (contratada diretamente pelo OES com a operadora de telefonia)?
  13. Como os serviços SCV2 e STFC Centralizado serão remunerados?
  14. Qual será o custo para a ativação e custeio mensal do SCV2 e de cada tipo de chamada no contrato de prestação do STFC Centralizado?
  15. O SCM da Intragov precisará ter QoS configurado para o funcionamento dos serviços SCV2 e STFC Centralizado?
  16. Vou precisar aumentar a capacidade do link Intragov da Unidade?
  17. É necessário ter SCM com redundância para a utilização do SCV2?
  18. Se cair o link Intragov a Unidade do OES ficará sem telefone?
  19. É necessário possuir UPS (no-break) para a manutenção do SCV2 em caso de queda de energia?
  20. Onde posso obter informações técnicas detalhadas sobre os serviços, cópia dos contratos e demais documentos relativos aos serviços SCV2 e STFC Centralizado?

Perguntas e Respostas

  1. O que é o Projeto Intragov VoIP?

    O Projeto Intragov VoIP surgiu com o propósito de incluir Serviço de Valor Adicionado (SVA) e Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) no âmbito do ambiente de Internet do Governo do Estado, em atendimento aos disposto no Decreto no 62.151/2016, tendo em vista uma potencial redução de gastos com telecomunicações na utilização desses serviços por meio da Rede Intragov.

    A Rede Intragov prevê a prestação do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), o qual será responsável pelo transporte do tráfego de voz sobre o protocolo IP (VoIP) para as chamadas telefônicas intra Governo (chamadas on-net) e para as chamadas telefônicas via rede de telefonia pública comutada.

    Índice

  2. Além dos serviços já existentes na Intragov, quais novos serviços poderão ser contratados pelos Órgãos e Entidades do Governo?

    Por força do Decreto no 62.151/2016, a PRODESP viabilizou a prestação do SVA e do STFC por meio de Edital de Pregão Eletrônico, o qual resultou na contratação do Serviço de Comunicação de Voz e Vídeo sobre IP (SCV2), implementado no padrão SIP (Session Initiation Protocol), e do Serviço Telefônico Fixo Comutado de forma centralizada (STFC Centralizado) na área local São Paulo (inserida no código de área 11).

    A contratação da prestação dos serviços foi dividida em dois Lotes e culminou na assinatura de dois novos contratos, sendo que o contrato do Lote 01 se destina à prestação do SCV2 e o do Lote 02 à prestação do STFC Centralizado.

    Índice

  3. Como os Órgãos e Entidades do Governo poderão aderir aos contratos de prestação do SCV2 e do STFC Centralizado?

    Consoante o Decreto no 62.151/2016, os serviços SCV2 e o STFC Centralizado se incluem no escopo do ambiente de Internet do Governo do Estado, instituído pelo Decreto no 42.907/98, consequentemente, os Órgãos e Entidades Signatários do Termo de Cooperação Intragov, bem como os signatários do Termo de Adesão ao Termo de Cooperação, denominados de OES, poderão contratar a prestação do SCV2 e do STFC Centralizado por meio dos novos contratos firmados pela PRODESP com os prestadores desses serviços.

    Índice

  4. Como os OES farão a contratação dos serviços SCV2 e STFC Centralizado, registro de incidentes e demais atividades para o relacionamento com as contratadas?

    O relacionamento entre os OES e as empresas prestadoras do SCV2 e do STFC Centralizado se dará nos mesmos moldes da Intragov, ou seja, será feito por meio do Sistema de Apoio Operacional e Gestão (SAOG), ferramenta desenvolvida e mantida pela PRODESP, através do qual serão emitidas as solicitações de serviço (Ativação, Alteração e Desativação), registrados os bilhetes de incidentes e demais situações que envolvem o relacionamento com essas contratadas.

    Índice

  5. Que recursos de hardware e software serão instalados nas Unidades dos OES?

    Para a prestação do SCV2 serão utilizados recursos denominados de Elementos de Acesso, os quais são responsáveis pela adaptação do sistema de telefonia tradicional para funcionarem numa Rede de dados (VoIP) ou pela implementação de um sistema de telefonia IP nativa (ToIP), e podem ser do tipo hardware (p.ex.: telefone IP e Gateway) ou software (SIP Trunking e softphone).

    Esses elementos de acesso podem ser integrados com os sistemas de telefonia existentes nos OES (interligação com legado) ou podem ser utilizados para compor um novo sistema de telefonia utilizando o PABX virtual da solução prevista no contrato (modalidade nuvem).

    Índice

  6. O OES poderá aproveitar recurso próprio (p.ex.: aparelho de telefone IP, Gateway ou PABX IP) para contratar o SCV2?

    O contrato de prestação do SCV2 prevê a possibilidade do OES utilizar recurso próprio, denominado de elemento de acesso de terceiro, porém cabe ao órgão ou entidade interessada em aproveitar esse recurso realizar a configuração do seu elemento e garantir que o mesmo atenda às recomendações previstas na RFC 3261. As funcionalidades de telefonia, neste caso, poderão ficar limitadas em função da compatibilidade do elemento de terceiro com a solução prevista no contrato.

    Índice

  7. O serviço SCV2 pode ser integrado a outras soluções como Skype for Business (antigo Lync), por exemplo?

    O contrato não prevê essa integração.

    Índice

  8. Qual será o consumo de largura de banda no SCM Intragov, por chamada?

    Há dois cenários possíveis:

    1. Integração com o legado: para chamadas externas à Unidade, utilizando o codec G.729, serão consumidos 37 kbps sem criptografia e 40 kbps com criptografia;

    2. Telefonia em nuvem: nesse caso, para chamadas entre ramais da mesma Unidade, será utilizado o codec G.711, consumindo 93 kbps sem criptografia e 100 kbps com criptografia (sem consumo de banda no SCM da Intragov). Para chamadas externas à Unidade, utilizando o codec G.729, serão consumidos 37 kbps sem criptografia e 40 kbps com criptografia.

    Desta forma, no caso, por exemplo, de uma Unidade do OES que utilizar 30 canais de voz para chamadas externas, será necessário reservar no seu link Intragov a banda de 1,11 Mbps (30*37 kbps), se utilizar chamadas sem criptografia de voz, e 1,2 Mbps (30*40 kbps), com criptografia.

    Índice

  9. Quais os modelos de elementos do acesso do tipo Terminais/Telefones IP disponíveis no contrato e suas características técnicas?

    Os terminais/telefones IP disponíveis são os dos seguintes tipos:

      a. Telefone IP básico

      b. Telefone IP Gerencial

      c. Telefone IP para Assistentes, Recepcionistas e/ou Secretárias

    Os terminais/telefones IP serão fornecidos pela contratada com fonte de alimentação, mas também preveem o suporte ao recurso Power over Ethernet (PoE).

    Há opção também de softphone com versões para computadores (com sistema Windows), smartphones (iOS e Android) e tablets (iOS e Android).

    Índice

  10. Como o serviço SCV2 poderá ser contratado em Unidades do OES que possuem PABX analógico?

    Essas Unidades poderão se integrar com o serviço SCV2 por meio de gateways com portas E1 ou portas FXS. O tipo e a quantidade das portas dependem do PABX da Unidade e da demanda de tráfego telefônico. A disponibilidade e configuração da(s) porta(s) no PABX para interligação com o gateway do SCV2 é de responsabilidade do OES.

    Índice

  11. Como o serviço SCV2 poderá ser contratado em Unidades do OES que possuem PABX IP ou híbrido?

    Essas Unidades poderão se integrar com o serviço SCV2 por meio de um tronco SIP ou interface(s) E1(s) disponível(is) no seu PABX. Em caso de se optar pelo uso de tronco SIP, o OES deve garantir que o seu PABX possui licença para interligação com o SCV2.

    Índice

  12. Como o usuário controlará o encaminhamento da chamada telefônica para que ela saia pelo SCV2 e STFC Centralizado ao invés de sair para rede de telefonia pública descentralizada (contratada diretamente pelo OES com a operadora de telefonia)?

    O encaminhamento da chamada telefônica será configurado de forma transparente ao usuário conforme a rota de menor custo. Nos casos de uso de PABX local, a forma de discagem deverá ser configurada pelo mantenedor do PABX.

    Índice

  13. Como os serviços SCV2 e STFC Centralizado serão remunerados?

    A prestação dos serviços será cobrada em duas Faturas. No caso do SCV2, será emitida uma fatura cobrando o valor fixo mensal de acordo com o tipo e quantidade de elementos de acesso contratados em cada Unidade.

    No caso do STFC Centralizado, será emitida outra fatura cobrando as chamadas realizadas pelo OES, as quais serão tarifadas seguindo as regras da ANATEL e conforme os valores definidos no respectivo contrato.

    Obs.: As chamadas intra Governo originadas pelo SCV2 (chamadas on-net) não serão tarifadas.

    Índice

  14. Qual será o custo para a ativação e custeio mensal do SCV2 e de cada tipo de chamada no contrato de prestação do STFC Centralizado?

    A tabela com os valores de ativação e custeio mensal do SCV2, bem como das tarifas do STFC Centralizado está disponível no endereço http://www.intragov.sp.gov.br/intragov_voip.php.

    Índice

  15. O SCM da Intragov precisará ter QoS configurado para o funcionamento dos serviços SCV2 e STFC Centralizado?

    Sim, o link Intragov (SCM) deverá ser configurado com QoS na Classe Tempo Real Voz e com a banda necessária para o correto funcionamento dos novos serviços.

    A largura de banda a ser reservada para a classe “Tempo Real – Voz” deve corresponder à quantidade máxima de chamadas simultâneas multiplicada pela banda do codec, conforme esclarecido na resposta à pergunta número 8.

    Índice

  16. Vou precisar aumentar a capacidade do link Intragov da Unidade?

    A necessidade de aumentar a capacidade do link Intragov dependerá da ocupação atual do link e da demanda de voz do SCV2 e STFC Centralizado da Unidade.

    A análise deve ser realizada caso a caso, pois diversos fatores influenciam no cálculo da banda, como, por exemplo, os tipos de aplicações que por ele trafegam, as classes de serviços utilizadas, dentre outros.

    Índice

  17. É necessário ter SCM com redundância para a utilização do SCV2?

    Não. Como o serviço SCV2 utiliza o SCM da Intragov para transportar o fluxo das chamadas de voz e das sinalizações associadas, a utilização de SCM com redundância resultará em um maior nível de disponibilidade do acesso à Intragov e, consequentemente, do SCV2. O OES deve avaliar a criticidade do serviço de telefonia fixa em cada unidade para decidir pela adoção ou não de redundância no SCM.

    Índice

  18. Se cair o link Intragov a Unidade do OES ficará sem telefone?

    A Unidade que tiver a opção de saída de contingência para rede de telefonia pública descentralizada (contratada diretamente pelo OES com a operadora de telefonia) e tiver contratado o elemento de acesso de sobrevivência poderá fazer e receber chamadas internas e externas quando ocorrer a indisponibilidade do link Intragov.

    A contratação de contingência/sobrevivência deve ser avaliada pelo OES, considerando a criticidade do serviço de telefonia fixa em cada uma das suas Unidades.

    Índice

  19. É necessário possuir UPS (no-break) para a manutenção do SCV2 em caso de queda de energia?

    A utilização de UPS deve ser avaliada pelo OES, considerando a criticidade do serviço de telefonia fixa em cada uma das suas Unidades.

    Índice

  20. Onde posso obter informações técnicas detalhadas sobre os serviços, cópia dos contratos e demais documentos relativos aos serviços SCV2 e STFC Centralizado?

    Cópias dos contratos com as Especificações Técnicas do SCV2 e do STFC Centralizado, bem como do Plano de Implantação, Acordo Operacional e outros documentos correlatos podem ser obtidas no endereço http://www.intragov.sp.gov.br/intragov_voip.php.

    Nota: A PRODESP se reserva o direito de corrigir eventuais informações contidas nas respostas, sem prévio aviso, que porventura estiverem em desacordo com os contratos e seus anexos.

    Índice

Copyright © 2016 - PRODESP - GSN